Vontade de comer – de onde vem e porquê?

Dá por si a dizer constantemente “estou com fome” ou sente que tem vontade de comer a toda a hora? Sem dar conta, já está a caminho do frigorífico pela enésima vez? Se isto lhe parece familiar, talvez agora seja a altura ideal para pensar no porquê deste apetite constante e qual é a melhor forma de o solucionar.

A Dieta EasySlim® dá uma ajuda e explica-lhe quais os motivos dessa sensação de fome e como superá-la:

Não come proteína ou fibra suficientes para “matar a fome”

Todos os macronutrientes (proteínas, hidratos de carbono e gorduras) são importantes por várias razões, mas nem todos vão ter o mesmo impacto na saciedade. Enquanto os hidratos de carbono fornecem energia imediata, as proteínas e fibras são importantes para manter esses níveis de energia. Assim, convém que tenha, em todas as suas refeições, uma fonte de proteína (tal como carne, peixe, ovo ou lacticínios) e fibra (fruta, verduras e cereais integrais), visto que estes nutrientes são os mais eficazes a conferir saciedade e a prolongar essa sensação.

Tem fome porque come menos do que precisa

Ao comer menos do que precisa para manter as suas necessidades fisiológicas, é normal que sinta vontade de comer constantemente. Aliás, neste caso, o que sente é mesmo fome, dado que o corpo precisa de mais energia do que a que lhe está a dar para funcionar, podendo até chegar a sentir fadiga, dificuldade em concentrar-se ou tonturas. Por isso, é importante que preste mais atenção ao corpo e aprenda a distinguir fome de vontade de comer. Uma forma fácil de distinguir é avaliando se precisa de comer um alimento em específico, ou se a necessidade de ingerir alimentos surgiu em consequência de um momento de stress, ansiedade ou tristeza. Se é o caso, então trata-se de fome emocional ou vontade de comer e não fome fisiológica.

Come muito rápido

Come muito rápido, porque precisa de fazer mil e umas coisas, ou distrai-se a ver televisão enquanto faz as refeições? Estes podem ser os motivos por que não se sente saciado e acha que precisa de comer constantemente, pois quando come “com distrações” não deixa o corpo registar o ato em si e libertar as hormonas que conferem saciedade.

Dedique algum tempo às refeições e tente usar os cinco sentidos para estar presente no momento: A que sabe a comida? Qual é a textura? Está quente ou fria? Satisfaz as suas necessidades naquele momento? Se se concentrar nas várias caraterísticas dos alimentos, o seu cérebro irá processar melhor a chegada de alimento e, por isso, vai sentir-se saciado mais cedo.

As hormonas estão descontroladas

Quando o corpo está sempre num “estado de stress”, há um aumento da libertação constante de cortisol, o que provoca aumento de apetite. Além disso, quando o stress e a ansiedade disparam, há também uma maior vontade de ingerir doces, que são alimentos menos interessantes do ponto de vista nutricional e que não saciam.

A menstruação também pode afetar temporariamente o apetite e os desejos alimentares, dadas as alterações hormonais típicas desta altura do mês.

Existem várias maneiras para lidar com a vontade de comer associada a um desequilibro hormonal, como fazer atividade física, falar com um amigo, ler ou fazer. Em caso de necessidade, procure ajuda profissional adequada (endocrinologista, ginecologista, …) para avaliar essa questão.

Está desidratado

Sabia que a fome se confunde muitas vezes com a sede? Por isso, sempre que tiver sensação de fome, beba primeiro um copo de água ou uma chávena de chá, de forma a assegurar que não está a interpretar mal os sinais. Se após a ingestão de líquidos ainda sentir necessidade de comer, é porque precisa mesmo de comer, e, nessa altura, deve comer um snack proteico e rico em fibra para “matar a fome” e garantir que ela não volta tão cedo.

Não dorme horas suficientes

Quando não dorme as horas necessárias para um sono reparador, o corpo não consegue produzir a hormona de regulação do apetite, aleptina. Contudo, por outro lado, produz em maior quantidade grelina, que vai aumentar a vontade de comer, especialmente doces.

Tenha uma boa higiene de sono e durma uma média de 8 horas por noite.

*Os resultados variam de pessoa para pessoa e dependem da adesão ao programa.

**Custo de Chamada Local - Dias úteis das 9H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00